Peregrinando entre cárceres: trajetórias de encarceramento de presos políticos na Era Vargas (décadas de 1930 e 1940)

  • Priscila Sobrinho Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
##plugins.pubIds.doi.readerDisplayName## https://doi.org/10.25032/crh.v5i8.10

Resumen

Este artigo analisa as trajetórias de encarceramento de quatro presos políticos durante a Era Vargas (1930-1945), um recorte analítico das trajetórias de vida narradas nas seguintes autobiografias: Vida de um revolucionário, de Agildo Barata (1962); Memórias, de Gregório Bezerra (1979); Caminhos Percorridos (memórias de militância), de Heitor Ferreira Lima (1982); e Uma vida em seis tempos (memórias), de Leôncio Basbaum (1976). Neste corpus documental, há um padrão de experiência prisional: após serem presos, os sujeitos são encarcerados na Casa de Detenção e nas colônias penais de Fernando de Noronha e Ilha Grande. O objetivo é analisar a experiência nas prisões e nos navios convertidos em “cárceres em movimento” para o transporte dos presos.

Publicado
2019-07-13
##submission.howToCite##
SOBRINHO, Priscila. Peregrinando entre cárceres: trajetórias de encarceramento de presos políticos na Era Vargas (décadas de 1930 e 1940). Claves. Revista de Historia, [S.l.], v. 5, n. 8, p. 235 - 260, jul. 2019. ISSN 2393-6584. Disponible en: <http://ojs.fhuce.edu.uy/index.php/claves/article/view/203>. Fecha de acceso: 13 dic. 2019 doi: https://doi.org/10.25032/crh.v5i8.10.